Notícias

A aventura conjunta da Northvolt para desenvolver uma fábrica de lítio, em Portugal

Autovista24 | 19 Dec 2021

Sobre o autor

Autovista24

Autovista24 provides specialist information for Europe’s automotive decision makers. The platform hosts news analysis, original research, interviews, webinars, videos and podcasts. Autovista24 journalists combine proprietary data with timely research and analysis – all while tapping into Autovista Group’s pan-European team of automotive experts to ensure that users benefit from highly-relevant content.

Northvolt
O fabricante de baterias Northvolt e a empresa Galp energia estão a criar uma parceria 50/50, esta aventura conjunta tem o nome de Aurora. O novo negócio visa implantar em Portugal a maior e mais sustentavelmente integrada fábrica de conversão de lítio da Europa.

As operações comerciais deverão começar em 2026, prevendo-se que a fábrica atinja uma capacidade de até 35.000 toneladas anuais de hidróxido de lítio. Este material apresenta um papel fundamental para a indústria de fabrico de baterias, que a Northvolt espera ver crescer dez vezes mais até ao final da década.

A localização ainda não foi confirmada

Uma das questões à qual falta a resposta acerca da fábrica é qual será a sua localização. De momento, estão a realizar-se estudos técnicos e económicos para que sejam avaliados os potenciais locais. Tendo por base projetos semelhantes estas fábricas representam, por norma, um investimento de 700 milhões de euros.

Através deste investimento, a Northvolt afirma que o local poderia fornecer hidróxido de lítio para uma produção de cerca de 50 GWh de baterias por ano. O que equivale a aproximadamente 700.000 veículos com carregamento elétrico (VEs). Como parte da aventura conjunta, o construtor de baterias irá assegurar metade da capacidade de produção da fábrica, para utilizar no seu próprio fabrico. O local terá o potencial de criar 1.500 postos de trabalho.

Esta é uma oportunidade única para reposicionar a Europa como líder numa indústria que será vital para reduzir as emissões globais de CO2, de acordo com as prioridades europeias e portuguesas em matéria de alterações climáticas”, disse o CEO da Galp, Andy Brown. “Para sermos bem-sucedidos neste esforço, todos temos de trabalhar em conjunto, indústria e entidades decisórias, com sentido de urgência, porque se não reivindicarmos este papel hoje, outros o farão”.

Novos padrões de sustentabilidade

Tanto a Northvolt, quanto a Galp pretendem garantir, que a fábrica de Portugal, respeita o compromisso para com os elevados padrões de sustentabilidade. As empresas salientam, em particular, a extração e concentração de espodumena, bem como, o processamento de hidróxido de lítio.

“O desenvolvimento de uma indústria de fabrico de baterias europeia proporciona excelentes oportunidades económicas e sociais para a região. Alargar a nova cadeia de valor europeia a montante, para incluir matérias-primas, apresenta uma importância fulcral”, disse Paolo Cerruti, cofundador e COO da Northvolt.

Os parceiros de negócios estão confiantes de que a Iberia dispõe de recursos que podem ser recuperados sem produzir uma grande quantidade de gases com efeito de estufa. Isto será alcançado através de elevados padrões de proteção do ambiente e dos direitos humanos, assegurando a sustentabilidade a longo prazo.

“Esta aventura conjunta representa um grande investimento nesta área e irá posicionar a Europa não só no caminho para o fornecimento doméstico de materiais chave, necessários no fabrico de baterias, mas também a oportunidade de estabelecer um novo padrão de sustentabilidade no aprovisionamento de matérias-primas. Esta iniciativa vem complementar uma estratégia global de sourcing baseada nos elevados padrões de sustentabilidade, fontes diversificadas e exposição reduzida a riscos geopolíticos”, acrescentou Cerruti.

Enquanto isso, a Northvolt continua a levantar ondas na indústria das baterias para automóveis. Recentemente confirmaram a abertura de um novo centro de pesquisa e desenvolvimento (R&D) em conjunto com a Volvo Cars. Já em novembro, anunciaram a produção da sua primeira célula de bateria totalmente reciclável. A unidade foi feita a partir de níquel 100% reciclado, manganês e cobalto. Em outubro, deram a conhecer um plano de 662 milhões de euros para construir o primeiro campus R&D, que poderá cobrir todo o ecossistema de baterias.

Este conteúdo foi-lhe apresentado pela Autovista24.

Note-se que este artigo é uma tradução do original publicado em inglês na Autovista24 e, por conseguinte, poderá conter pequenos erros ortográficos. Caso verifique qualquer discrepância ou inconsistência entre o original e a tradução, a versão que prevalecerá será sempre a inglesa.

Sim, inscreva-me na Autovista24

* Obligatorio


Inscreva-se para receber o seguinte email:
Autovista24: Leitura essencial sobre automóveis dados e conhecimento - uma atualização diária do novo site da Autovista24 foi enviada por Autovista Ltd, em inglês.

Os nossos e-mails utilizam pixels para monitorizar sempre que abre, encaminha ou clica nos URLs dos nossos e-mails. Isto ajuda-nos a monitorizar e medir o desempenho e eficácia dos nossos e-mails. A combinação disto com as informações fornecidas acima e as suas informações de navegação permite-nos adaptar e melhorar o nosso marketing e personalizar a sua experiência de utilizador no nosso website. Ao inscrever-se, está a consentir a utilização dos seus dados com a finalidade de lhe enviar emails personalizados e a utilização de pixels de seguimento. Pode revogar o seu consentimento para receber os nossos emails e respetivo seguimento em qualquer altura, carregue neste link para o nosso Centro de Preferências de email e atualize as suas preferências. Para informações adicionais sobre o processamento dos seus dados pessoais, consulte a Política de Privacidade do Grupo Autovista e a Política de Privacidade da Eurotax.